A RAINHA E O JOVEM QUE SABIA VALORIZAR AS PESSOAS

                                         Caetano ler

           A RAINHA E O JOVEM QUE SABIA VALORIZAR AS PESSOAS

Há muitos e muitos anos, em uma terra distante, todos os habitantes do reino serviam à jovem e orgulhosa rainha. Por mais que seus súditos se esforçassem para satisfazer seus desejos, raramente conseguiam agradar-lhe.

O sapateiro, de tanto ouvi-la reclamar de seus sapatos, passou a acreditar que eles eram feios e de má qualidade. A bruxa, que perdera sua magia fazendo surgir lindos vestidos para a vaidosa rainha, sentia-se triste e deprimida. O cozinheiro, após receber o impacto de tantas críticas por parte de Sua Majestade, sentia-se frustrado e já pensava em abandonar a profissão. Vários outros exemplos poderiam ser citados porque a atitude soberba da rainha, que tanto a envaidecia, humilhava seus súditos e contribuía para que eles se sentissem desvalorizados.

Certo dia, ao tomar conhecimento da chegada de um rapaz ao seu reino, a rainha ordenou aos guardas que fossem buscá-lo imediatamente, porque ela desejava vê-lo. Orgulhosa como era, a rainha não confessaria nem a si mesma que sentira algo diferente quando os seus olhos tocaram os olhos do jovem. Procurando disfarçar a emoção que sentia, a rainha perguntou: “O que você sabe fazer?” Ele respondeu: “Nada em especial.” A rainha disse em tom enérgico: “Se deseja permanecer no meu reino, trate de encontrar um modo de se tornar útil.”

E o jovem tornou-se mais do que útil: tornou-se indispensável, porque sabia valorizar e cativar as pessoas. À bruxa, ele dizia: “Confie em si mesma, e sua magia acabará reflorindo.” Ao sapateiro, ele dizia: “Os sapatos que você confecciona são resistentes e duráveis… Você não deveria caprichar tanto nos sapatos da rainha… Faça-os belos e pouco resistentes para que se desgastem logo, e a rainha possa satisfazer a sua vaidade, substituindo-os com frequência.” Ao cozinheiro, ele dizia: “Quando você for servir à rainha, em vez de perguntar a ela se a refeição está do seu agrado, elogie o penteado ou o vestido que ela estiver usando…” E, assim, continuava o simpático rapaz, sempre encontrando algo gentil e animador para dizer.

A rainha, que já estava inclinada a se apaixonar pelo jovem, alegrou-se ao verificar que as reclamações diminuíram, e os elogios aumentaram desde a sua chegada. Quando ele falou em partir, ela lhe pediu que ficasse, alegando docemente que aquele reino não poderia permanecer sem um rei.

Sisi Marques

Sobre Sisi Marques

Sou apaixonada pelos personagens e pelas histórias que povoam a minha imaginação. Amo escrever, porque é através da escrita que consigo registrar os momentos maravilhosos que essas realidades mágicas me proporcionam.
Esta entrada foi publicada em BLOG DE CAETANO AUGUSTO (Sisi Marques). Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a A RAINHA E O JOVEM QUE SABIA VALORIZAR AS PESSOAS

  1. Lucia disse:

    Linda história!!! Parabéns, Sisi!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>