O MAGO, A CRIANÇA E O GIGANTE

Caetano e VerônicaO MAGO, A CRIANÇA E O GIGANTE

Irânio era um gigante que se refugiava em cavernas, para evitar o confronto com as pessoas que ele considerava “normais”. Os seus pais não eram gigantes e tiveram dozes filhos. Foi apenas ele que cresceu demasiadamente.

Para evitar encontros indesejáveis, Irânio costumava acender uma fogueira em frente à caverna que ele estivesse ocupando. A fogueira, que tinha a finalidade de sinalizar sua presença para afastar curiosos, certo dia, porém, atraiu a atenção de um mago que desejava testar a eficácia de um pó mágico que um duende lhe oferecera em troca de abrigo.

O mago, que se chamava Miraldo, quando se aproximou da fogueira, levantou os braços e começou a mover os dedos, como se estivesse extraindo fios invisíveis do fogo e do ar. Uma criança, que também desconhecia o significado da fogueira, parou de procurar um lugar para se esconder de seu amiguinho, e perguntou ao mago: “Por que você acendeu uma fogueira em frente a uma caverna; e fica aí, dançando de modo tão estranho?!… Você mora nessa caverna?!…”

Miraldo não respondeu. Simplesmente endereçou um olhar de enfado a Gilmar, desejando que ele se afastasse. Mas o garoto, em vez de ir embora, ficou parado, olhando para a entrada da caverna pensando que aquele seria um bom lugar para se esconder. Finalmente, ele perguntou: “Posso me esconder lá dentro?!”

O mago não teve tempo de responder, porque tanto ele quanto o garoto se assustaram ao ver sair da caverna um gigante de aparência aterradora. O garoto se escondeu atrás do mago, e o mago levantou novamente os braços e, logo em seguida, abaixou uma das mãos para retirar, do bolso da túnica, o saquinho que continha o pó que o duende lhe ofertara. No instante seguinte, o pó do duende entrou em contato com o fogo e causou uma tremenda explosão, que encheu o ar de fumaça.

Os três, que haviam fechado os olhos para protegê-los, quando tornaram a abri-los, se surpreenderam com a mágica que resultara do encontro entre o pó mágico e o fogo: Irânio deixara de ser um gigante. Intrigado, ele perguntou ao mago: “Como você conseguiu fazer isso?!… Você deve ser mesmo muito poderoso!…”

Dando de ombros, Miraldo respondeu: “Eu teria certamente me tornado um mago poderosíssimo se, em vez de desejar que você se tornasse um homem comum para que eu pudesse enfrentá-lo, eu tivesse desejado me tornar o maior feiticeiro que já existiu.”

Gilmar, que era muito esperto, sugeriu: “Podemos deixar que pensem que foi a sua magia que reduziu o gigante de tamanho. Todos o considerarão um grande mago. Agora eu posso ou não usar essa caverna como esconderijo?!… O meu amigo já deve estar chegando!…”

F I M

Sisi Marques

Sobre Sisi Marques

Sou apaixonada pelos personagens e pelas histórias que povoam a minha imaginação. Amo escrever, porque é através da escrita que consigo registrar os momentos maravilhosos que essas realidades mágicas me proporcionam.
Esta entrada foi publicada em BLOG DE CAETANO AUGUSTO (Sisi Marques). Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>