Arquivo da categoria: DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 – PARTE 4)

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XLII)

Na manhã seguinte, Cibele sentia-se insegura em relação ao que deveria fazer para libertar-se da insistência de Florêncio. O uso do pingente conferia-lhe um brilho todo especial, que desapareceria se ele a obrigasse a tirá-lo. Lembrava-se dos beijos que ofertara … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | Deixar um comentário

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XLI)

Cerca de meia hora depois, Tadeu apareceu no quarto que Cibele ocupava na casa de Florêncio. Ela não o viu chegar porque estava deitada de bruços. Ele disse suavemente para não assustá-la: – Não chore… Tudo ficará bem. Cibele, sobressaltada, … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | Deixar um comentário

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XL)

Quando Tadeu foi encontrar-se com Eliel, ele disse: – Perdoe-me por ter vindo tão tarde. Se eu soubesse que você desejava falar comigo, eu teria voltado da academia bem antes. Eliel confidenciou: – Não se preocupe com o horário… Eu … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | 3 comentários

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XXXIX)

Eliel já estava afastado de Cibele há uma semana. Em sua árvore, sentado no sofá, ele mantinha os cotovelos apoiados sobre os joelhos e o rosto escondido entre as mãos. Não sentia vontade de deixar a árvore e não tinha … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | Deixar um comentário

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XXXVIII)

Enquanto Eliel angustiava-se por não ter conseguido proteger Cibele; ela, por sua vez, era forçada a almoçar na companhia indesejável de Florêncio. Para tranquilizá-la, ele disse: – O motivo de eu tê-la atraído para cá não foi para apressar a … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | Deixar um comentário

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XXXVII)

Quando Eliel e Clara atravessaram o portal no porão de Anabel, surpreenderam-se ao contemplar o estado deplorável em que Tadeu se encontrava. Para confortá-lo, Eliel exclamou: –Não se desespere! Eu prometo trazê-la de volta. Tadeu confessou: – Eu me deixei … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | Deixar um comentário

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XXXVI)

Enquanto Tadeu se martirizava por sua ingenuidade e por seu descuido; Cibele já havia chegado à sua dimensão e confiara em sua magia para conduzi-la ao porão da casa de Florêncio. Não ficou surpresa ao encontrar Clara presa em uma … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | Deixar um comentário

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XXXV)

Enquanto Cibele percorria o caminho que a levaria à floresta; Tadeu, sentado no sofá da sala da árvore de Eliel, repassava em sua mente a lembrança dos dois últimos beijos que ofertara a Cibele. Começou a imaginar como o seu … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | Deixar um comentário

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XXXIV)

Quando Tadeu retornou utilizando a passagem que dava para o porão da casa de Afrânio e Anabel, foi à minha casa porque acreditou que era lá que Cibele deveria estar. Preocupou-se ao ouvir Crisélia dizer: – Cibele é teimosa, e … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | Deixar um comentário

DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (Capítulo XXXIII)

Na manhã seguinte, quando Eliel e Cibele foram à nossa casa, Crisélia exclamou: – Vocês aqui?!… Por que retornaram?… Eliel, estranhando a reação de Crisélia, comentou: – Imaginei que fosse ficar feliz em nos ver. Anabel e Afrânio também estavam … Continue lendo

Publicado em DE VOLTA À DIMENSÃO DAS BRUXAS (LIVRO 2 - PARTE 4) | Deixar um comentário